Círculo virtuoso onde todos ganham

O sistema de titularização do subsídio de refeição está hoje implantado em mais de 40 países e 19 Estados-Membros da União Europeia.

O mecanismo apresenta benefícios claros para:


  • Estabelecimentos aderentes - maior volume de negócios, mais emprego;
  • Empregadores - maior produtividade, menor custo do serviço de alimentação;
  • Trabalhadores - maior rendimento disponível, melhor nutrição e saúde;
  • Estado - aumento da atividade económica e das receitas fiscais e contributivas, redução de economia não registada;
  • Sociedade em geral - melhor distribuição de rendimento, mais emprego, melhoria saúde da população, redução da desigualdade.

stakeholders

Segundo o estudo da Universidade Nova de Lisboa de 2018, elaborado pelo Prof. Jorge Bravo, por cada euro de consumo por via do título de refeição, são injetados 2,9 euros na atividade económica, aumentando o PIB em 2,1 euros.


Refere ainda o mesmo estudo, que o impacto económico e social da titularização é tanto maior quanto maior for a majoração (face ao valor nominal do título) das despesas de consumo originadas pela utilização do subsídio de refeição, o que não se aplica ao formato numerário.

O contributo do sistema de titularização em termos macroeconómicos e sociais - criação de riqueza, mercado de trabalho e finanças públicas - é tanto mais significativo quanto menores forem as possibilidades de uso inadequado do título (que deve ser garantido pelas redes de aceitação contratadas), ou seja, quanto menor for o efeito de substituição do consumo interno.